Durante curso de pintura, internos de Três Lagoas aplicam prática em Batalhão da PM

O curso foi custeado com recursos do Conselho da Comunidade, com autorização do juiz Rodrigo Pedrini Marcos

Publicado em
Durante curso de pintura, internos de Três Lagoas aplicam prática em Batalhão da PM

TRÊS LAGOAS (MS) – Com o objetivo de oportunizar trabalho em uma área com grande demanda por mão de obra capacitada - a construção civil, reeducandos da Colônia Penal Industrial de Três Lagoas (CPITL) acabam de concluir um curso profissionalizante na área de pintura predial.

A iniciativa foi possível graças a uma parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), Poder Judiciário, Conselho da Comunidade local, 2º Batalhão da Polícia Militar e o Instituto de Desenvolvimento Social, Econômico e Ambiental de Mato Grosso do Sul (IDSEAMS).

Com a participação de 20 alunos, as aulas teóricas e práticas foram realizadas no 2º BPM de Três Lagoas, que acabou sendo contemplado com uma revitalização da pintura, tanto das paredes como as partes em grades. O curso foi custeado com recursos do Conselho da Comunidade, com autorização do juiz Rodrigo Pedrini Marcos. Ao todo, foram investidos R$ 3.650,00.

O instrutor do IDSEAMS, André Luiz Moreira de Sales, destaca que os reeducandos estão aptos a analisar e preparar superfícies internas e externas de edificações a serem pintadas, combinando materiais, além de conhecimento para cálculo de quantidade e equipamentos a serem utilizados, bem como aplicação de tintas e materiais decorativos similares, dentro das normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene e saúde. "A área de pintura predial é um mercado cada vez mais exigente e que demanda mão de obra qualificada", ressalta.

Segundo o diretor da CPITL, José Antônio Garcia Sales, o curso, além de qualificar os reeducandos, também vai ajudar em quatro convênios ativos de trabalho na área de construção civil, que sempre necessita de pintor profissional para o trabalho.

O dirigente pontua que, com as capacitações, a meta é que 100% dos custodiados do regime semiaberto em Três Lagoas trabalhem. Atualmente, esse índice é de 85%, considerado bastante alto, já que a média do Estado é de 34% e a nacional de 20%.

Conforme Sales, um novo curso já foi autorizado pelo Poder Judiciário para ser realizado no início do ano que vem, custeado pelo Conselho da Comunidade de Três Lagoas. A nova capacitação será na área de soldador, outro mercado profissional com bastante demanda.

Fonte: Da Redação

Deixe um comentário