Clientes que pagaram academias poderão utilizar os serviços sem custo após fim do decreto

Decisão ocorreu na tarde desta quinta-feira, em acordo

Publicado em
Clientes que pagaram academias poderão utilizar os serviços sem custo após fim do decreto

lientes de academias que pagaram mensalidades e não puderam usufruir dos serviços devido ao decreto publicado no dia 18 de março, pelo prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), poderão fazer os exercícios físicos após o fim do isolamento social sem custo.

“A ideia é que os consumidores não cancelem os pagamentos que vem pagando nos cartões que eles vem pagando nessa pandemia e não estão usufruindo e em contrapartida as academias pós pandemia irão oferecer aos consumidores compensação das aulas pagas e não realizadas em 100%”, afirmou o superintendente do Procon, Marcelo Salomão.

A decisão ocorreu após reunião que aconteceu na sede do Procon Estadual, com presidentes de associações que representam os profissionais  do setor além do presidente da  Fundação de Desporto e Lazer  de Mato Grosso do Sul (Fundesporte).

“Após  várias discussões, se chegou ao entendimento que a melhor saída é orientar  as pessoas que têm contratos firmados a manterem seus créditos com as entidades para utilização após ser  autorizado o reinício das atividades prestadas pelas academias, além das reposições das aulas perdidas. Ficou decidido, também, que casos especiais devem ser tratados individualmente, garantindo o direito do consumidor”, explicou Salomão.

Outro ponto abordado na reunião foi a questão do bom senso que deverá existir entre o consumidor e o proprietário da academia. “Não se pode responsabilizar ninguém pela interrupção de serviços, a melhor saída é o entendimento. Temos que levar em conta o estado de calamidade que se instalou e, além disso, cabe a todos nós colaborar para a manutenção dos empregos”, afirmou.

Ficou acordado ainda que as academias deverão oferecer 100% do contrato firmado aos consumidores após o período de isolamento social, para que os consumidores não tenham prejuízos na relação contratual.

Além do superintendente do Procon Estadual, participaram da reunião o diretor presidente da Fundesporte, Marcelo Miranda; o presidente do Conselho Regional de Educação Física, Joacyr Lima de Oliveira Júnior; Arethusa Mussi Salomão de Avelar, representando a Associação Brasileira de Academias – ACAD; Renato Furlaneto Bernardinis, presidente da Associação das Academias de Mato Grosso do Sul e, ainda, Diego B. de Souza, empresário do ramo de academias em Campo Grande.

O decreto foi publicado como uma das ações do estado e do município de prevenir a disseminação do coronavírus.

Fonte: Correio do Estado / Foto: Ilustração

Deixe um comentário