Cidade de 10 mil habitantes no MS confirma 106 casos de coronavírus; 90% trabalham em frigorífico

Mais de 400 moradores de Guia Lopes da Laguna trabalham na empresa. Incidência em município é'quase 10 vezes maior que a média nacional

Publicado em
Cidade de 10 mil habitantes no MS confirma 106 casos de coronavírus; 90% trabalham em frigorífico

O município de Guia Lopes da Laguna (MS), de quase 10 mil habitantes, já registra 106 casos da Covid-19, de acordo com a secretaria de Saúde do município.

A incidência de casos é a maior do estado: 53 vezes maior do que a da capital Campo Grande (2 casos por 10 mil habitantes ) e quase 9 vezes maior do que a média nacional (12 casos por 10 mil habitantes).

De acordo com a prefeitura, o avanço da doença está diretamente relacionado à disseminação dentro de um frigorífico da cidade, onde seis funcionários testaram positivo para a doença no último dia 7. Os casos de coronavírus cresceram notadamente desde então: "90% deles tem relação com as pessoas que trabalhavam no frigorífico", afirmou a assessoria de imprensa da gestão municipal.
 
Os 10% de casos restantes teriam ocorrido por transmissão comunitária, já que, pouco antes dos casos serem confirmados, ocorreram festas e aglomerações que contrariavam as recomendações de isolamento social das autoridades de saúde do município.

Em números absolutos, Guia Lopes da Laguna é a segunda cidade com mais casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul, apenas atrás da capital, Campo Grande, com 188.
 
Apesar de não apresentar nenhum óbito por Covid-19 até o momento, o município tem dois casos de pacientes graves, que estão internados no Hospital Regional do estado, cerca de 280 pessoas sendo monitoradas porque tiveram contato com algum caso confirmado, ainda assintomáticas.

O Mato Grosso do Sul confirmou 642 casos e 16 mortes por coronavírus até a manhã desta terça-feira (19), de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES). Segundo a prefeitura, os testes para Covid-19 estão sendo feito apenas em pacientes que apresentam sintomas da doença.


Lockdown no começo de maio
 
No dia 7 de maio, após as primeiras confirmações no frigorífico, a prefeitura decretou "lockdown" no município, vetando alguns serviços e só deixando entrar na cidade ambulâncias, caminhões, veículos com profissionais de saúde em deslocamento, pessoas em tratamento de saúde e veículos relacionados a serviços essenciais.

A administração municipal ainda restringiu a saída dos moradores a dois dias na semana, autorizados de acordo com a data de nascimento do cidadão.

Esse decreto foi "relaxado" na última semana, com a abertura gradual do comércio, seguindo restrições de pessoas e cumprimento de medidas sanitárias.

O estabelecimento que não cumprir as normas pode até perder o alvará de funcionamento, algo que ainda não aconteceu, conforme a prefeitura. As ações de descontaminações e de barreiras sanitárias, além da saída de moradores em dois dias por semana, continuam mantidas.
 
MP investiga frigoríficos em 11 estados
 
Mais de 60 frigoríficos em pelo menos 11 estados do país estão na mira do Ministério Público do Trabalho (MPT), que vai avaliar as condições de trabalho nestes locais durante a pandemia do novo coronavírus. O levantamento dos números foi feito a pedido do G1.

Considerado serviço essencial, o setor de carnes não parou as atividades em meio às medidas de isolamento social impostas por estados e municípios e costuma ter aglomeração de pessoas na linha de produção. Com isso, há a preocupação de que a Covid-19 possa se espalhar entre esses profissionais.

A continuidade da produção de alimentos foi um pedido do Ministério da Agricultura ao governo para que o abastecimento do país não fosse comprometido, bem como as exportações do setor, que trazem bilhões de dólares para o país.

Fonte: G1 MS

Deixe um comentário