Três-lagoense ganha prêmios na Nova Zelândia por ajudar brasileiros que não têm fluência em inglês

Fabiola Correa, que mora em Queenstown desde 2009, auxilia a comunicação entre médicos e pacientes, especialmente mulheres grávidas

Publicado em
Três-lagoense ganha prêmios na Nova Zelândia por ajudar brasileiros que não têm fluência em inglês

Quando a três-lagoense Fabiola Correa, de 31 anos, chegou à Nova Zelândia, dez anos atrás, encontrou muitas dificuldades com o idioma. Com pouco domínio do inglês, acabou trabalhando como camareira em um hotel local.

Enquanto trabalhava, pensava em como crescer no novo país. Dedicou-se ao estudo do idioma e passou, também, a estudar finanças e hotelaria. Não demorou muito para tornar-se gerente do mesmo hotel onde havia sido camareira.

Pensando na própria experiência, Fabiola começou a fazer trabalhos voluntários em um centro médico em Queenstown, uma pequena cidade com pouco mais de 15 mil habitantes - 20% deles, brasileiros.

Já fluente em inglês, Fabíola passou a servir de intérprete e ajudar na comunicação entre médicos e pacientes. Também ajudava parteiras, policiais e até juízes nos casamentos.

Filha do protético Vicente Correa, que trabalha no funcionalismo público em Três Lagoas, Fabiola dedica-se ao voluntariado também em outras áreas na cidade. Junto com a comunidade da igreja que frequenta, ela limpa casas de idosos, entrega lenha... tudo o que pode fazer para contribuir com a comunidade local.

"Comecei a deixar meu trabalho algumas horas por dia para fazer este serviço voluntário e ajudar o próximo. Aprendi que Deus me ama e preciso dividir esse amor", disse.

RECONHECIMENTO
Esse entrega e dedicação renderam a Fabiola dois prêmios "Spirit of the Wakatipu", entregues nesta semana pela Wakatipu Community Foundation, uma instituição de caridade criada para inspirar generosidade e fornecer suporte contínuo para grupos comunitários que operam no local.

O prêmio foi criado "em reconhecimento às diversas contribuições feitas pelos heróis locais" ao povo de Queenstown.

Orgulhosa, a própria Fabiola entrou em contato com a reportagem do Perfil News para falar sobre as conquistas. Ela foi premiada em duas categorias: Saúde e Bem Estar do Próximo e como Escolha Popular do ano.

"Quando olho para os últimos 10 anos... eu nunca pensei que isso iria acontecer. As coisas que faço não são para ser reconhecidas. Eles são apenas porque eu amo a Deus e às pessoas", disse ela, que acredita que todos têm um papel a desempenhar para ajudar a comunidade com diferentes dons e talentos que possuem.

QUEENSTOWN

Conhecida como a "meca" dos esportes radicais, Queenstown também é a casa de muitos brasileiros na Nova Zelândia. É um dos principais destinos dos turistas e intercambistas daqui.

Perfeita para amantes da natureza, é um local conhecido por seus fiordes e cenários exuberantes - vários, inclusive, foram locações da trilogia Senhor dos Anéis e O Hobbit.

Localizada na Ilha Sul da Nova Zelândia, a duas horas de voo de Auckland, Queenstown fica às margens do Wakatipu, um lago de águas cristalinas e cercado por montanhas que dá nome à fundação que premiou Fabiola.

Fonte:

Deixe um comentário