Casamentos entre pessoas do mesmo sexo cresceram 42% em MS

No ano passado foram 166 casamentos registrados em cartório, sendo 56 entre homens e 110 entre as mulheres

Publicado em
Casamentos entre pessoas do mesmo sexo cresceram 42% em MS

O número de casamentos registrados em 2018 apresentou crescimento em Mato Grosso do Sul em comparação o ano anterior, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Entre pessoas do mesmo sexo, houve aumento significativo de 41,88%.

De acordo com o IBGE, no ano passado foram 166 casamentos registrados em cartório aqui no Estado, sendo 56 entre homens e 110 entre as mulheres. Em 2016 foram 106 casamentos entre pessoas do mesmo sexo e no ano seguinte 117.

A união oficial entre homens apresentou crescimento anual de 27,27%, passando de 44 para 56, enquanto entre as mulheres o salto foi de 50,68%, de 73 para 110 casamentos. O alto índice é repetido na média nacional, segundo analistas, como reflexo da onda conservadora que para muitos é vista como ameaça a direitos adquiridos por homossexuais.

Segundo o IBGE, o número total de casamentos aumentou de 16.650 para 17.169, crescimento de 3,11%. Entre cônjuges masculino e feminino, o índice subiu 2,84%, passando de 16.533 casamentos em 2017 para 17.003 no ano seguinte.

Mato Grosso do Sul apresentou a 4ª maior taxa de casamentos a cada mil habitantes. A média foi de 8,1 pessoas, de 15 anos de idade ou mais, que se uniram por meio do casamento legal. O Estado ficou atrás apenas de Rondônia (10,1), Acre (9,9) e Distrito Federal (8,5). A média nacional ficou em 6,4 pessoas.

Por outro lado, Mato Grosso do Sul também aparece com a 2ª maior taxa de divórcios, passando a liderança do ano anterior para Rondônia (3,8). Foram considerados os divórcios das pessoas de 20 anos ou mais de idade concedidos em 1ª instância ou realizados por escrituras extrajudiciais. A taxa do Estado foi de 3,5, acima da média nacional, de 2,6.

O número de divórcios em Mato Grosso do Sul caiu de 5.993 de 2017 para 5.891 do ano seguinte. Campo Grande acompanhou o ritmo, passando de 3.280 para 3.051.

A taxa de guarda legal dos filhos menores de idade cresceu entre as mulheres, de 70,55% em 2017 para 72,02% em 2018. Entre os ex-maridos houve redução de 4,82% para 4,62%. A guarda compartilhada caiu de 22,62% para 21,06%.

Natalidade – Mato Grosso do Sul apresentou redução no número de nascimentos registrados em 2018, com redução de 1,2%, atrás do Distrito Federal (-1,4%). Foram 44.160 nascidos vivos, sendo 22.503 meninos e 21.656 meninas. Em Campo Grande, foram 7.135 crianças do sexo masculino e 6.950 do sexo feminino, total de 14.085. Os meses de março e maio foram os que mais registraram partos de nascidos vivos, com 4.178 e 4.063, respectivamente.

Em relação à idade da mãe, a faixa etária com maior número de nascimentos ocorreu entre 20 e 29 anos de idade, com 48,5%. Porém, a que maior apresentou crescimento de um ano para outro foi de 30 a 39 anos, 1,5%, passando de 13.361 para 13.568.

A pesquisa do IBGE também aponta que em 2018 Mato Grosso do Sul registrou total de 16.286 óbitos, sendo 15.026 mortes naturais e 1.212 mortes violentas. Do total, 9.430 eram homens e 6.856 mulheres. Quase 83% das mortes violentas no Estado ocorreram com pessoas do sexo masculino.

Em Campo Grande, foram registrados 5.399 óbitos, sendo 5.045 naturais e outras 353 violentas. Do número total, 2.999 eram homens e 2.400 mulheres.

 

Fonte: Campo Grande News

Deixe um comentário