Triângulo amoroso acaba em 'sururu' e delegacia em Chapadão do Sul

No caminho da delegacia a mulher seguiu dizendo que era Policial Federal do Paraguai e iria dar o troco

Publicado em
Triângulo amoroso acaba em 'sururu' e delegacia em Chapadão do Sul

A Polícia Militar da cidade de Chapadão do Sul-MS, saiu do quartel para checar suspeita de acidente de trânsito e fuga e acabou  atendendo uma ocorrência de Violência Doméstica em andamento  bastante tumultuada numa área desabitada nos fundos da Churrascaria Chapadão.

O cenário era de um triângulo amoroso com os autores prestes a entrarem em vias de fato. O clima estava quente e um homem conhecido por Rafel (Dito) tirava satisfações do “outro” (Fábio) porque sua mulher o abandonou quando ele foi preso, buscando  residência e abrigo com o novo relacionamento.

MULHER DISSE SER POLICIAL FEDERAL - Os PMs precisaram de muita calma para controlar a situação. Dito estava visivelmente alcoolizado e discutia com a mulher e Fábio.

Ela também estava sobre influência de álcool e crack. Segurava uma caneca com aguardente enquanto xingava os dois. Uma tragédia poderia acontecer a qualquer  momento. O graduado da PM começou pedindo a documentação da mulher que se apresentou como  "Polícia Federal do Paraguai”.

SURURU GENERALIZADO - Os PMs perceberam que não estavam diante de uma agente federal do pais vizinho. Antes de reiterar o pedido de identificação ela chutou o órgão genital de Dito e acabou sendo presa.

Estava fora de controle e reagiu à ação dos PMs que foram obrigados a algemá-la. Neste momento o “sururu” estava formado com Dito atacando Fábio que correu para dentro de casa e pegou uma faca de cozinha.

REFORÇO PARA CONTROLAR AGRESSORES - Enquanto os PMs tentavam controlar a mulher Dito já tinha levado uma facada no dedo. Foi necessário o pedido de reforço via rádio porque a ocorrência tinha saído de controle. Uma viatura da Polícia Civil e outra do serviço administrativo da PM chegaram para por fim à confusão. 

O homem armado com faca voltou para dentro de casa mas acabou desarmado e preso. Segundo o registro policial o grupo estava usando crack no local. Dois cachimbos artesanais ainda estavam com fumaça da queima de pedras no banheiro.  

DESTRUIÇÃO DE CAMBURÃO - Os três depredaram a cápsula interna do camburão da PM. No caminho da delegacia a mulher seguiu dizendo que era Policial Federal do Paraguai e iria dar o troco. Eles foram enquadrados por  Lesao Corporal Dolosa (artigo 129 do CP) / Dano (artigo 163) /  Resistência (artigo 329) / Desobediência (artigo) / Desacato (artigo 331) / Homicídio Simples na Forma Tentada (artigo 121), (artigo 14 inciso II) / Recusa de Dados Sobre Própria Identidade ou Qualificação (artigo 68 do decr-lei nº 3.688/41) / Vias de Fato (Violência Doméstica) (artigo 21 do decr-lei nº 3.688/41)

O QUE É SURURU: Sururu é o nome popular de um molusco bivalve, ou seja, que é envolvido por duas conchas, bastante típico na costa nordestina do Brasil. Uma referência na culinária baiana, alagoana, maranhense, pernambucana e de demais estados do Nordeste brasileiro.

A palavra sururu também é utilizada como uma gíria tipicamente brasileira para designar uma confusão, uma briga, tumulto, muvuca e bagunça. Esta expressão é muito falada pela população natural dos estados onde encontram-se os moluscos.

De acordo com a gíria regional, o termo "furdunço" é usado como um sinônimo de "sururu", também denotando o estado de bagunça e desordem causado por uma festa ou confusão entre várias pessoas.

Fonte: Chapadense News

Deixe um comentário