TJMS mantém bloqueio de bens da Petrobras para quitar dívidas com fornecedores de Três Lagoas

loqueio de R$ 36 milhões

Publicado em
TJMS mantém bloqueio de bens da Petrobras para quitar dívidas com fornecedores de Três Lagoas
A ação conjunta entre a FAEMS – Federação das Associações Empresariais de MS e Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas garantiu mais uma conquista neste mês de outubro, quando em decisão unânime, o TJMS – Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul negou o recurso ao embargo dos bens da Galvão Engenharia S/A, Petróleo Brasileiro S/A – Petrobras e Sinopec Petroleum do Brasil LTDA, responsáveis pela implantação da UFN III no município de Três Lagoas. Em maio deste ano, uma Ação Civil Pública movida pelas entidades e classe empresarial conquistou o bloqueio de R$ 36 milhões destinados ao pagamento de débitos com fornecedores do município. A decisão foi embasada diante do fato que, ao se instalar em Três Lagoas a cidade recebeu diversos investimentos da classe empresarial, diante do potencial promissor do empreendimento. Contudo, em dezembro de 2014 a Petrobras reincidiu contrato com os empresários e microempresários do Estado, gerando grande dano econômico e social, desemprego e desestabilidade financeira. A FAEMS e a ACI de Três Lagoas assumiram a frente da questão desde o início, em busca de solução, para que o setor empresarial não sofresse os impactos desse débito. “Essa decisão foi uma vitória para toda a classe empresarial do Estado. Com a manutenção do bloqueio de bens por parte do TJMS, o processo retorna à Comarca de Três Lagoas, onde a questão terá o devido andamento”, destaca o advogado da ACI de Três Lagoas, Victor Garcia Vida de Oliveira Vieira. O vice-presidente da FAEMS e presidente da ACI de Três Lagoas, Atílio D’Agosto destaca que a conquista só foi possível graças a união de esforços da Federação, associação comercial, Governo do Estado e empresários. “A união das classes promove o desenvolvimento e a vitória, como essa que conquistamos através da decisão da Justiça”, avalia.

Fonte:

Deixe um comentário