População descumpre recomendações do Comitê e lota Centro de Três Lagoas

A maior concentração de pessoas encontra-se nas portas das agências bancárias.

Publicado em
População descumpre recomendações do Comitê e lota Centro de Três Lagoas

TRÊS LAGOAS (MS) - Centenas de pessoas vão às ruas da cidade e lotam as portas das agências bancárias, descumprindo às normas de contenção da Covid-19.


Com a volta do funcionamento do comércio e do atendimento bancário nesta terça-feira (7), a população de Três Lagoas, compareceu em peso, na área central e a grande maioria não cumpria a orientação de manter a distância mínima adequada de 1,5.

Na contramão, comerciantes e agências bancárias cumpriram todas as normas de sanitização frente à pandemia, ou seja: ofereceram dispositivos de álcool em gel, informações visíveis de prevenção, controle de fluxo de clientes, etc.

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio do Comitê de Enfrentamento a Pandemia de Covid-19 (Coronavírus) e da Assessoria Jurídica, tornou pública a redação final do decreto nº 073 de 06 de abril de 2020, que trata sobre a flexibilização da abertura do comércio, inclusive, com uma novidade, que é a reabertura das agências bancárias observando as regras sanitárias.

REGRAS PARA OS BANCOS:

Dentre elas, está a obrigação de limitar a quantidade de pessoas no interior da agência correspondente ao número de atendentes, ou seja, um por caixa disponível, e terminais de autoatendimento. Além de manter a higienização adequada nas superfícies de contato com álcool 70º INPM ou sanitizadores, antes e após o atendimento de cada cliente.

O decreto prescreve ainda que se deve priorizar o atendimento aos usuários pertencentes ao grupo de risco (pessoas com mais de 60 anos, hipertensos, diabéticos, gestantes e imunodeprimidos) de modo que permaneçam o menor tempo possível no interior da agência.

O banco deve disponibilizar, pelo menos, um funcionário para orientar os clientes fora da agência, realizar a triagem para identificar o tipo de serviço que cada usuário necessita, orientando e recomendando o uso do auto atendimento ou atendimento por telefone, e garantindo o acesso aos que efetivamente tiverem necessidades de atendimento presencial.

Outra exigência para o funcionamento é adotar medidas para coibir aglomeração do lado externo da agência, ainda que se trate de passeio público, a fim de se assegurar o distanciamento mínimo de 1,5m entre cada pessoa, podendo requisitar o auxílio da força policial, se for o caso.

Normas estas que foram expostas e colocadas em decreto na manhã de ontem, segunda-feira (6), para que não apenas o comércio viesse a aderir as regras, mas a população também, sendo estas que as pessoas continuassem com o isolamento em suas casas, que não fossem todos de uma só vez até o centro, para que fosse cumprido o distanciamento e que colaborarem, evitando assim a aglomeração de pessoas, evitando que isso acabe resultando em mais e mais casos na cidade.

Contudo, mesmo seguindo as regras de estar um funcionário do lado exterior das agências, funcionário este que é responsável pela ação de orientar as pessoas e fazer uma triagem, para ver se realmente existe a necessidade de as pessoas entrarem na agência.

O Centro de Operações de Emergência Municipal (COEM) de Três Lagoas decidiu pela flexibilização da abertura do comércio no município e na manhã desta segunda-feira (06), em coletiva de imprensa, divulgou as principais mudanças que deverão ocorrer. Segundo o prefeito Angelo Guerreiro, desde a última quarta-feira (01) o novo decreto vem sendo redigido ouvindo diversas sugestões da classe empresarial e de toda a população.

Os estabelecimentos comerciais que não cumprirem com o estabelecido no decreto poderão ser punidos pela administração pública com notificação para fechamento imediato do estabelecimento e multas que podem variar de R$ 2,5 mil a R$ 49 mil, dependendo do tamanho da empresa.

No entanto,o que foi constatado, na manhã desta terça-feira (7) que não está cumprindo com a flexibilização do decreto que trouxe a reabertura do comércio e das agências bancárias é a própria população.

A Polícia Militar poderá ser acionada.

Fonte: Da Redação

 - Foto 1

Deixe um comentário