Exame de morador de Ilha Solteira com suspeita de febre maculosa dá negativo

As capivaras são hospedeiras da bactéria

Publicado em
Exame de morador de Ilha Solteira com suspeita de febre maculosa dá negativo

A Vigilância Sanitária informou que deu negativo o exame feito em um morador de Ilha Solteira-SP, distante 60 Km de Três Lagoas, que residiria na região das praias, que foi internado no final de setembro no Hospital Regional com suspeita de febre maculosa.

A doença começou a preocupar moradores depois que bandos de capivaras começaram a ser avistados nas praias e em diversas regiões do Recanto das Águas. O medo é de infestação do carrapato-estrela, inseto que é trazido pelo animal e que transmite a febre maculosa.

Usuários da praia e de ranchos no Recanto das Águas, inclusive, já relataram picadas de carrapato. Mas uma possível infestação não é confirmada por órgãos oficiais.

As capivaras são hospedeiras da bactéria Rickettsia rickettsii, transmitida pela picada do carrapato estrela e causadora da febre maculosa. Mas é bom lembrar que, por enquanto, não há nenhum caso confirmado na cidade.


Febre maculosa - Para haver transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Não existe transmissão da doença de uma pessoa para outra.

Quando a bactéria cai na circulação causa vasculite, isto é, lesa a camada interna dos vasos. Os primeiros sintomas aparecem de dois a 14 dias depois da picada. Na imensa maioria dos casos, sete dias depois. A doença começa abruptamente com um conjunto de sintomas semelhantes aos de outras infecções, como febre alta, dor no corpo, dor de cabeça, inapetência e desânimo. Depois, aparecem pequenas manchas avermelhadas, as máculas, que crescem e tornam-se salientes, constituindo as maculopápulas.

Essas lesões podem apresentar o componente petequial (petéquia é uma pintinha hemorrágica parecida com uma picada de pulga) e, às vezes, ocorrem pequenos sangramentos abaixo da pele no local das maculopápulas petequiais.

A erupção cutânea é generalizada e manifesta-se também na palma das mãos e na planta dos pés, o que em geral não acontece nas outras doenças exantemáticas (sarampo, rubéola, dengue hemorrágica, por exemplo).

A febre maculosa tem cura desde que o tratamento com antibióticos (tetraciclina e clorafenicol) seja introduzido nos primeiros dois ou três dias. Em geral, a partir de sete dias sem tratamento, as lesões causadas pela doença são irreversíveis e dificilmente se consegue evitar o óbito.

É importante lembrar que os sintomas iniciais da febre maculosa são semelhantes aos de outras infecções e requerem assistência médica imediata. Esteja atento ao aparecimento dos sintomas comuns a vários tipos de infecção e procure um médico para diagnóstico diferencial. 

Fonte: Ilha de Notícias

Deixe um comentário