Deputados mantêm veto sobre medidas contra assédio em bares

Proposta tinha sido aprovada na Assembleia, no entanto foi arquivada após veto do governo

Publicado em
Deputados mantêm veto sobre medidas contra assédio em bares

Os deputados mantiveram o veto do governo ao projeto que obrigava os bares, casas noturnas e restaurantes a dispor de medidas para coibir e auxiliar as mulheres, em casos de assédio e violência dentro dos estabelecimentos. Os parlamentares seguiram os argumentos do executivo, que classificou a matéria como inconstitucional.

“Não podemos obrigar os bares a ficar responsável por ações que competem a segurança pública, como acompanhar (mulheres) até o veículo, que não cabe aos empresários”, disse o líder do Governo, o deputado Gerson Claro (PP).

O autor da proposta, o deputado José Almi (PT), disse que não recebeu nenhuma reclamação ou queixa do setor empresarial sobre as medidas propostas e entende que a lei iria auxiliar e dar o devido apoio as mulheres, que forem vítimas de violência ou assédio nestes locais.

O projeto determinava que os funcionários (bares) teriam que acompanhar a vítima até o carro ou outro meio de transporte, como comunicar a polícia sobre o ocorrido. Também tinham que dispor de cartazes nos banheiros, informando o auxílio e apoio do estabelecimento.

Caso as mulheres se sentissem assediadas ou ameaçadas poderiam acionar a direção dos bares e restaurantes. Estava previsto ainda a capacitação dos funcionários para lidar com a situação. Foram 10 votos a favor do veto e apenas 3 contra a decisão do governo. Com este placar, o projeto foi arquivado.

Outros - Também foram arquivados os projetos que previam a criação de uma farmácia veterinária popular, que visava reduzir o preço destes medicamentos, assim como a matéria que denominava de “veteranos”, os servidores aposentados das forças de segurança pública do Estado.

 

Fonte: Campo Grande News

00

Deixe um comentário