"Diretor do Hospital Auxiliadora está pegando com força o dinheiro da população, no dinheiro do SUS"; diz radialista

Radialista do interior do Mato Grosso do Sul acusa a diretoria do Hospital Auxiliadora de desvio de recursos públicos do SUS

Publicado em

TRÊS LAGOAS ()MS) - Na manhã desta quinta-feira (20), o diretor do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, Marco Antônio Calderon de Moura foi acusado de desvio de recursos públicos destinados à Saúde por um radialista do interior do Mato Grosso do Sul.

Em seu programa, o radialista acusa nominalmente o diretor geral do HA Marco Antônio Calderon de Moura de promover "uma verdadeira vergonha em gestão hospitalar", afirmando que a instituição estava destinada ao abandono e que as acomodações do SUS são muito inferiores aos leitos destinados aos convênios de saúde particulares, após as Irmãs Salesianas descentralilzarem a gestão para o diretor.

O radialista diz: "Este diretor está pegando "el bigodon", a mão grande com força, no dinheiro da população, no dinheiro do SUS que, entra lá e dizem que desaparece". (...sic) , disse o radialista.

De acordo com o radialista, o veículo tem conhecimento de informações sobre possíveis desvios de recursos e, que tais possíveis desvios deveriam ser investigados pelo Ministério Público e a Polícia Federal.

No final do comentário, o comunicador dispara: "Após o Carnaval, o assunto, que está sendo investigado pela imprensa será abordado, num jornal do Mato Grosso do Sul".

O áudio com as acusações se espalhou em grupos de whatsapp e, na tarde desta quinta-feira (20), a assessoria de imprensa do Hospital Auxiliadora divulgou uma Nota Resposta, repudiando o áudio e também informando que o hospital vai tomar providências policiais e judiciais diante das acusações.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA

Nota Reposta

Todos que trabalham, como nós no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora sabe que sempre será, das Irmãs e administrado por elas. Conhecem também as dificuldades de ser uma instituição beneficente que decidiu, há mais de 100 anos, atender a população mais carente através do SUS.

O Hospital e cada colaborador aqui, dia a dia, dá o seu melhor, para que as dificuldades financeiras não afetem a qualidade do atendimento e a atenção aos que mais precisam de nós.

Por tudo isso, e pela transparência e dedicação que temos ao usar o dinheiro público é que nos INDIGNAMOS e REPUDIAMOS contra um áudio que escutamos na data de hoje, 20 de fevereiro, repassado pelo WhatsApp, de uma determinada emissora de rádio, no qual falta o princípio da conduta ética determinado pelo Jornalismo.

Comunicamos que, tanto administrador do Hospital (pessoalmente), como esta Instituição centenária, tomarão as medidas policiais e judiciais necessárias. Lamentamos que minorias com interesses puramente financeiros usem qualquer canal de comunicação para pressionar o Hospital a aceitar condições que não interessam a saúde e a população da região.

Fonte: Rádio Caçula

Deixe um comentário