20/10/2018 20h25 - Atualizado em 20/10/2018 20h25

Operação da PF cumpre mandados em Três Lagoas e Campo Grande


Por: Capo Grande News
 
Carrão apreendido e que pertencia ao borracheiro. (Foto: Marina Pacheco) Carrão apreendido e que pertencia ao borracheiro. (Foto: Marina Pacheco)

Levado a audiência de custódia, na manhã de ontem (19), o borracheiro Damião de Souza Batista, de 44 anos, foi liberado da prisão. A Justiça arbitrou fiança no valor de dois salários mínimos, e determinou o comparecimento bimestral do borracheiro em juízo para informar e justificar suas atividades.

Damião também está proibido de se ausentar da Capital por mais de 8 dias, sem comunicar o juízo. O borracheiro foi preso durante a Operação Time Out ("tempo esgotado", em inglês) deflagrada nesta quinta-feira (18). Mas a investigação começou em outubro do ano passado, para apurar informações de que moradores da Capital mantinham galpões na área urbana, onde caminhões eram carregados com cocaína e se dirigiam a outros Estados.

Os lucros eram utilizados na aquisição de imóveis e veículos, registrados, em sua grande maioria, em nome de "laranjas". Damião era um dos participantes do esquema. Com salário de R$ 1,5 mil mensal, o borracheiro era proprietário de uma BMW e uma Toyota RAV4. Ele foi preso em flagrante por posse de arma de fogo, depois que foram encontrados na casa dele, um revólver calibre 38 e onze munições.

Em depoimento, Damião contou que além do salário, recebe auxílio-doença no valor de R$ 570 mensalmente e não tem outra fonte de renda. Quanto aos bens pessoais, explicou que adquiriu os carros após a venda de uma casa. Ele já foi preso por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. Pelos crimes, cumpriu pena e permaneceu preso por dois anos.

Operação – Durante os trabalhos a Justiça determinou o sequestro de 96 veículos que teriam sido adquiridos com o lucro do tráfico. A operação envolveu 43 policiais e teve mandados cumpridos na Capital e em Três Lagoas. Bloqueio de contas bancárias e bens também foram decretados.