24/02/2018 13h43 - Atualizado em 24/02/2018 13h43

Falar ao celular enquanto dirige e não usar cinto de segurança ainda são as principais infrações no trânsito de Três Lagoas


Por: Assecom

Três Lagoas cresceu e se desenvolveu rapidamente nos últimos 15 anos e, com isso, além do número populacional, aumentou também a quantidade de veículos circulando pelas vias da Cidade. Algo comprovado por dados do Departamento de Trânsito de Mato Grosso do Sul (DETRAN/MS) que tem o cadastro de aproximadamente 85 mil veículos em Três Lagoas, sem contar a frota flutuante, ou seja, veículos que apenas trafegam aqui em horários específicos ou que não são registrados no Município.

Conforme dados da Diretoria Municipal de Trânsito em 2017 foram aplicadas 5.204 autuações por infrações no trânsito de Três Lagoas, sendo que a maioria é por conta de falar ao celular enquanto dirige, não usar o cinto de segurança, estacionar em local proibido e avançar sinal vermelho.

"As 5.204 multas corresponde apenas a 5,6% do total de veículos que trafegam em Três Lagoas, por isso, não há como se falar em indústria de multas. A prioridade é orientar, educar e garantir segurança de motoristas, pedestres, ciclistas e demais personagens do trânsito. Autuações são aplicadas em caso de necessidade ou abuso", observa a autoridade de Trânsito, Creuza Ramos.

Creuza ressalta ainda que, do total de autos de infração, 131 foram cancelados e outros 64 foram indeferidos após o proprietário do veículo autuado entrar com recurso junto ao órgão. "Os agentes municipais de trânsito só tem um objetivo: garantir o respeito às leis de trânsito e dar maior segurança a todos", complementa.

CAPACITAÇÃO

Para que os 19 agentes de trânsito possam atuar de maneira eficiente e eficaz dentro do que a sua profissão exige, a Diretoria de Trânsito da Prefeitura Municipal de Três Lagoas tem constantemente oferecido treinamentos, palestras e cursos. "Todo este aperfeiçoamento propõe fortalecer e aprimorar o trabalho dos profissionais que diariamente encaram situações inusitadas no exercício de suas funções", explica o secretário da pasta, Dirceu Deguti.

MORTES

Conforme dados divulgados pela SEINTRA, de 2011 a 2017 os índices de vítimas em acidente fatais tem diminuído ano a ano. Em 2011 foram registradas 34 mortes no trânsito de Três Lagoas, cinco anos depois, ou seja, em 2016, esse número caiu para 14 e, no ano passado, diminuiu para 12 mortes.

"Isso é reflexo do intenso trabalho de conscientização, tanto por parte da Prefeitura, quanto dos outros órgãos envolvidos com o trânsito. Porém, mesmo com o número baixando, temos que tentar zerar os casos o mais rápido possível, afinal ainda assim foram 12 vidas ceifadas por conta da irresponsabilidade no trânsito, seja da própria vítima ou de terceiros", finaliza Deguti.

EDUCAÇÃO

As blitz e abordagens também são de caráter informativo, já que muitos condutores não têm conhecimento sobre novas regras e alterações no Código Brasileiro de Trânsito e com isso resistem em aceitar as orientações do agente e, até mesmo, questionam a sua decisão de autuar, por exemplo. "Mesmo com mais de dois anos de trabalho, os agentes ainda são desrespeitados e constantemente recebem ameaças. Tudo que queremos é reduzir cada vez mais o número de acidentes e vítimas de acidentes fatais", acrescenta Deguti.