20/04/2018 14h03 - Atualizado em 20/04/2018 14h03

Empresas fazem doação de alimentos para cavalos recuperados pela Patrulha Rural


Por: Da Redação com fotos de TL Notícias
 

Os 20 cavalos recuperados na noite desta quinta-feira (19) por uma equipe da Patrulha Rural de Três Lagoas (MS), foram encaminhados para o parque de Exposição Joaquim Marques de Souza, no Sindicato Rural.

De acordo com os policiais que atenderam a ocorrência, os equinos estavam visivelmente debilitados. A Agropecuária Três-Lagoense e a Ponto Vet, fizeram doação de alimentos em solidariedade aos animais.

A policia busca localizar os donos dos animais. Caso isto não ocorra, eles serão levados a uma fazenda. Os animais não poderão ser vendidos.

Entenda

Os três homens presos transportavam uma carga de cavalos sem nota fiscal. Os suspeitos, de 57, 51 e 47 anos, foram abordados pela Patrulha Rural na estrada do Alto Sucuriú, após uma denúncia anônima.

Segundo o denunciante, ele estava na Avenida Mabel quando um caminhoneiro encostou o veículo, com placas de Regente Feijó (SP) na via. Ele relatou que o motorista estava nervoso, olhando constantemente para os lados e para trás. Alguns minutos depois, dois carros, com placas de Araçatuba (SP) e Martinópolis (SP), chegaram ao local e perguntaram como chegar a estrada do Alto Sucuriú.

O homem que realizou a denúncias desconfiou do nervosismo dos homens e também do caminho por onde eles queriam seguir, geralmente usado para transportar cargas roubadas. Por esse motivo, ele acionou a Polícia Militar.

Uma guarnição da Patrulha Rural se deslocou até a estrada informada pelo denunciante para tentar localizar os suspeitos. Na MS-320, os homens foram abordados. O motorista de um dos carros, durante a entrevista, declarou não conhecer os demais autores. Porém, os outros dois envolvidos declararam que todos estavam juntos. A partir do depoimento dos outros homens, o primeiro acusado mudou sua versão, confirmando que estava com eles.

Eles alegaram que levariam a carga, de 20 cavalos, até uma fazenda no Distrito de Arapuá, porém, não souberam dizer o nome da fazenda, somente explicaram sua localização. Os suspeitos ainda revelaram que levariam alguns animais para serem vendidos em Nioaque (MS), pois lá poderiam vender por um preço mais alto. Quando questionados sobre a origem dos animais, um dos homens disse que comprou 12 animais em Parapuã (SP) e oito em Presidente Venceslau (SP).

Dos homens, dois deles já tinham passagem pela polícia por furto de gado e o outro, por tráfico de drogas. Diante dos fatos, eles foram encaminhados para a DEPAC (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) para as providências cabíveis.