18/12/2018 09h39 - Atualizado em 18/12/2018 09h39

Em 2018, Sindicato Rural certificou mais de 2 mil alunos em Três Lagoas


Por: Assecom

O Sindicato Rural de Três Lagoas é um dos que mais formaram alunos em cursos técnicos do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – em Mato Grosso do Sul. Em Três Lagoas (MS) este ano foram 2.184 alunos que tiveram a oportunidade de fazer 168 cursos, entre janeiro e dezembro de 2018.

Parte destes alunos foram convidados para a entrega dos certificados, que contou com a presença do presidente Ivan Carrato Júnior e dos diretores José Luiz Galvani, Kennides Martins Batista Filho, Jair Klauck e Domingos Martins de Souza.

Também estiveram presentes o promotor de justiça Moisés Casarotto; a coordenadora do Programa Agrinho do Senar/MS Maria Clara Penteado; o coordenador geral do agronegócio do município de Três Lagoas, Célio Lopes de Barros e outras autoridades.

Ivan ressaltou os números conquistados pela parceria com o Senar/MS. "É um prazer muito grande ver essa casa lotada. Isso é muito gratificante. Junto com essas mais de duas mil pessoas capacitadas temos também o Agrinho, que em Três Lagoas está no segundo ano de participação em 11 escolas. A iniciativa faz com que essas crianças conheçam a produção rural, tenham mais afinidade do que é a produção e o produtor rural", explicou.

Ele disse que o objetivo é expandir ainda mais o número de cursos no ano que vem. "Temos que bater a meta de cursos realizados este ano, pois temos demanda. Três Lagoas está em pleno desenvolvimento, com muita gente buscando qualificação", avalia.

Para a analista educacional do Senar/MS, Maria Claro Penteado, a parceria com Sindicato merece ser comemorada. "Quero agradecer a parceria e o apoio do Sindicato Rural de Três Lagoas que possibilitou a realização de tantos cursos ao longo do ano, além de eventos voltados para o desenvolvimento do homem e da mulher do campo", disse.

O promotor de justiça agradeceu a parceria com o Sindicato Rural, que oportunizou cursos para detentos de unidades prisionais no município. "Eu fiz questão de vir pessoalmente e agradecer a generosidade do Sindicato e do Senar, que promoveram estes cursos nos presídios, para pessoas que cometeram ilícitos, mas querem mudar de vida e buscam a reinserção social", disse.

Histórias de superação

Foram várias histórias de superação entre os formandos, que inspiraram os instrutores ao longo do ano. Entre os destaques, a de Eucélio Soares Maia, que fez o curso de Primeiros Socorros, Combate a Incêndios Florestais, Administração Rural e NR-35. "Os cursos trazem qualificação para o mercado de trabalho, que está muito exigente. Eu não quero parar aqui, vou aproveitar para fazer mais cursos ainda", reforçou.

Para o fotógrafo, José Joacir Araújo Barreto, de 53 anos, ou JJ Caju, os cursos despertaram o sonho de investir em uma nova profissão. "Eu fiz os cursos de apicultura e o Negócio Certo Rural. Cursos e professores fantásticos! Moro em um sítio, estou aproveitando e abrindo o leque. Mais para frente estou preparado e especializado para fazer a coisa certa. Saio daqui com outra visão", comemorou.

Elizangela de Souza Silva, de 33 anos, disse que está desempregada e aproveitou a oportunidade para se especializar e melhorar o currículo. "Fiz curso de informática básica, informática avançada e NR-35. Hoje em dia tudo se baseia no mundo digital. Não conhecia os cursos do Senar, mas amigos me indicaram. Já quero ingressar minha filha no ano que vem", prometeu.

Além da certificação dos alunos do Senar/MS, os alunos e professoras de 11 escolas do município receberam a premiação do programa Agrinho deste ano. Cinco colégios municipais e seis estaduais participaram, com o ensino rural em sala de aula.