25/02/2015 15h34 - Atualizado em 25/02/2015 15h34

Comerciante registra ocorrência contra assessor da vereadora Marisa Rocha

Nesta quarta-feira (25), inexplicavelmente, o assessor parlamentar retirou o nome da comerciante de sua publicação, conforme comprovam novos documentos que serão anexados junto ao processo

Por: Marco Campos
 
Lídia campos registrando a ocorrência na 3º DP de Três Lagoas Lídia campos registrando a ocorrência na 3º DP de Três Lagoas

Uma empresária de Três Lagoas registrou nesta terça-feira (24) uma ocorrência de difamação contra o assessor da vereadora Marisa Rocha (PSDB). Conforme consta na ocorrência registrada na 3º Delegacia de Polícia Civil, a vítima - Lídia Campos - informou que o assessor parlamentar Guilherme Barbosa Leles de 30 anos falou inverdades sobre sua pessoa, praticando o crime de difamação no Facebook pessoal do acusado e através de mensagens enviadas a pessoas que integram o grupo de WhatssApp a qual a comerciante faz parte.

As provas do crime previsto no Código Penal foram anexadas junto com a ocorrência feita pelo delegado, Dr. Alessandro Rogério de Mendonça Capobianco.

“Com este registro policial, levarei o caso para a Justiça para processá-lo por danos morais. Todos os cidadãos têm o direito de se expressar contra ou favor de qualquer movimento, mas nunca envolver alguma pessoa e sua família em inverdades para manchar ou denegrir sua imagem. Somos livres e vou continuar questionando as coisas que acho que não estão boas da atual administração. Vocês não vão me amedrontar e muito menos me calar junto com minha família. Vão aprender a me respeitar e a me engolir”, desabafou Lídia.

A comerciante está sendo vítima de criticas pessoal e difamação por parte do assessor da vereadora Marisa Rocha por estar participando do grupo “Mães Guerreiras” que se uniram recentemente para protestar contra a atual gestão de Márcia Moura (PMDB).

A ocorrência já foi encaminhada para a Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) e dentro dos próximos dias, “Leles” será intimado para prestar esclarecimentos à delegada Dra. Letícia Mobis.

Nesta quarta-feira (25), inexplicavelmente, o assessor parlamentar retirou o nome da comerciante de sua publicação, conforme comprovam novos documentos que serão anexados junto ao processo.

Recentemente, a sogra de Lídia Campos - que também faz críticas ao poder público municipal - também sofreu ameaças de morte e o caso já é investigado pela Polícia Civil.

Seja o primeiro a comentar!

Restam caracteres. * Obrigatório
Digite as 2 palavras abaixo separadas por um espaço.